quinta-feira, 29 de março de 2012

Menina da Lua


Leve na lembrança
A singela melodia que eu fiz
Pra ti, ó bem amada
Princesa, olhos d'água
Menina da lua
Quero te ver clara
Clareando a noite intensa deste amor
O céu é teu sorriso
No branco do teu rosto
A irradiar ternura
Quero que desprendas
De qualquer temor que sintas
Tens o teu escudo
O teu tear
Tens na mão, querida
A semente
De uma flor que inspira um beijo ardente
Um convite para amar
Leve na lembrança
A singela melodia que eu fiz
Pra ti, ó bem amada
Princesa, olhos d'água
Menina linda

* Letra de "Menina da Lua", música interpretada por Maria Rita

Uma homenagem para as mulheres e uma mensagem: VALORIZEM-SE!

sexta-feira, 23 de março de 2012

Desabafo sobre contradições...

Há pessoas que parecem tão inteligentes, tão conscientes de seu papel no mundo e tão dedicadas a serem justas, mas que, no entanto, quando têm de enfrentar a oportunidade e o desafio de aprender a lidar com as diferenças para construírem, enfim, um verdadeiro aprendizado para suas vidas, fogem e deixam sua crida maturidade desmoronar vertiginosamente.

quinta-feira, 22 de março de 2012

Eu aqui e acolá...

Não sou uma coisa'qui e outra'colá, 
só sei ser eu em todo lugar.

Junie Nunes de Souza

Não vale a pena ser professor...


   Como assim o RS pode ser a Grécia do Brasil? Por questões econômicas pagar o piso aos professores é um problema? A educação e os demais serviços vitais de atendimento à população são negligenciados há anos, enquanto os políticos se refestelam com seus privilégios e poder imediato de promover a si mesmos um aumento de salário significativo quando bem entendem. Se a lei vale para eles e isso não é visto como um fator prejudicial à economia, a lei vale e deve ser cumprida para os professores também.
   Será que essa gente que está no poder disputaria tanto um lugar para chupar a teta e mamar à vontade se as condições de trabalho fossem as mesmas enfrentadas pelos professores da educação pública diariamente? Sem auxílios disso e daquilo, sem salários exorbitantes, sem gabinetes bem equipados, sem poder nenhum para transformar a realidade - usando apenas o talento para tentar fazer o melhor?
   Ser professor é uma escolha profissional, não é serviço voluntário, caridade ou assistencialismo. Educar é tarefa séria e desgastante e, hoje em dia, começo a pensar que não vale a pena o esforço. Vamos para a faculdade e aprendemos conteúdos maravilhosos, ampliamos nossa visão de mundo e nos preparamos arduamente para chegar a uma sala de aula e fazermos aquilo que é certo, aquilo que o profissionalismo exige.
   E tudo isso para quê? Para enfrentar as cartilhas partidárias que cada governo implanta quando chega ao poder? Para que a classe de professores seja vista com maus olhos por fazer greve? Para que um aumento ínfimo de salário seja negado? Para que sejamos culpabilizados pela falência do Estado em sei lá eu quantos anos?
   Não vale a pena o esforço, não nessas condições. Não vale a pena acreditar em algo que é desrespeitado a todo o momento, não vale a pena trabalhar desmotivado e acabar repetindo aquelas velhas fórmulas originadas pelo desânimo, pelo descontentamento e pela falta de incentivo. A educação é muito bonita, mas a beleza se desgasta com a pobreza.


Junie Nunes de Souza

Eu vi um cachorro...

Eu vi um cachorro.
Segurava com sua boca enorme, 
entre dentes quebrados e cariados,
uma almofada velha e encardida.
Balançava lepidamente o pedaço de esponja para todas as direções,
pulando para lá e para cá num ritmo intermitente...
Do outro lado da rua, 
uma cabeça com um par de olhos grandes e tristonhos se encosta à janela do ônibus...
Inveja em silêncio a indiferença e o humilde contentamento canino -
quase deseja juntar-se ao animal e participar de sua feliz brincadeira.
Suspira...
Olha para o intolerante marcador das horas:
chegaria atrasada outra vez.

Junie Nunes de Souza

* Texto escrito em uma viagem de ônibus.

domingo, 18 de março de 2012

Gosto de gente que sabe comunicar...

Gosto de gente que sabe comunicar. Gente que saia por aí dizendo "Sim!" e "Eu te amo!" sem a menor vergonha, mas também gosto de gente que não tem o menor constrangimento em dizer "Não!" e "Eu odeio isso!". Não tem essa de ficar em cima do muro. Adolescência já passou. Não tá gostando de alguma coisa? Vaza! Você não merece estar em um lugar em que as pessoas o tratam mal ou o ignoram.
Quando eu era pequena, diziam que eu fazia muitas caras e bocas. Sinceramente, eu não entendia muito bem o que estavam dizendo, mas ficava meio irritada. Hoje entendo que as minhas caretas fazem parte da minha maneira de expressar sentimentos. Está tudo ali: dúvida, afirmação, negação, admiração, indignação... Meu rosto grita o que eu penso em dizer antes mesmo de eu poder formular uma frase a ser dita.
Comunicação é tudo! Não dá para ficar calada, não em um mundo como o nosso... Em que há tanta coisa errada que milhões fingem não perceber... ACORDAR É PRECISO! Tá na hora de mais ação, mais fala, mais interação e menos medo e "Ai, meu Deus! O que os outros vão pensar?". DANEM-SE os outros - entidades inibidoras da livre-expressão. O que que é isso? Invasão? Queridos, olhem para a minha cara... Aham, isso mesmo: FORA! ADEUS! A PORTA DE SAÍDA É LOGO ALI.
Não tem espaço aqui para vozes que não atingem a última fileira de cadeiras no teatro, não tem espaço aqui para olhos que se voltam para baixo e bocas emudecidas, não tem espaço... Não! Não tem espaço aqui para "os rebanhos que desconhecem a primeira pessoa do singular" - não é Quintana?

Junie Nunes de Souza

quinta-feira, 15 de março de 2012

Ele...


Ele. Ele tem que ser um pedaço de mim. Ele tem que ser ele, porque se não for ele eu não o quero. Ele precisa tentar me compreender, respeitar meu espaço e minha solidão. Ele tem que olhar dentro de meus olhos e me dizer aquilo que quero saber e entender aquilo que quero expressar. Ele tem que ser a gentileza, ele tem que ser a amizade, ele tem que ser a sinceridade... Ele... Ele tem que ser o livro novo, o filme preferido, o chocolate que mais gosto, a manhã de chuva, o frio do inverno... Ele tem que ser o que eu amo. Ele tem que saber que adoro andar de mãos dadas e contemplar o silêncio; que adoro ser confortada em todos os momentos em que meus olhos parecerem tristes... Ele tem que saber que tudo o que preciso é de um abraço seguro, um abraço que promete o infinito agora e para sempre... Ele tem que ter a voz doce para falar comigo, ele tem que sentar-se à mesa e estar presente durante as refeições, ele tem que sorrir... Ele tem que falar minha língua e a língua que escolhi como segunda opção para extravasar meus sentimentos, ele tem que saber que a educação é algo importante para mim. Ele tem que fazer surpresas, me fazer dar risadas e prometer a cada instante através de atitudes que ele me fará feliz. Ele precisa ser alguém que me inspire confiança, alguém que eu admire, que tenha os mesmos valores que eu tenho, alguém que eu respeite e ame incondicionalmente. Ele tem que me fazer estar apaixonada pela vida, ele tem que me proporcionar a liberdade que tanto prezo e persigo. Ele tem que ser inteiro. Ele tem que ser real. Ele tem que ser um sonho, porque o amor para mim é idealizado, é romanesco, é cinematográfico... E se algo desse porte jamais existir, não vale a pena perder um segundo de meu precioso tempo. Afinal, a vida é cheia de oportunidades e momentos para viver, mesmo que a solidão seja sua única e mais fiel companhia.

Thinking about love...

Today I was thinking about that thing called love. Weird thing called love. Well, at least, I allow myself to think about it sometimes. I am just not allowed to love.

quarta-feira, 14 de março de 2012

Doubt

Year by year, something inside me keeps evolving into this unknown being, and I watch myself trapped among screaming books that say out loud what I should know. As the time goes by, I am certain that what is called a normal life is far, far away from me. But I do expect to find home.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Personalizando...

Que tal voltar às aulas com um pouco de criatividade neste semestre?

Já ultrapassei a fase dos bichinhos fofinhos - ainda bem - e como ando bastante econômica, resolvi reciclar dois cadernos do semestre passado e transformá-los num só. Foi bem rápido e o resultado ficou muito bom.

Primeiro, selecionei várias imagens de filmes, pessoais e outras coisas que eu gosto. Imprimi umas seis imagens em cada folha de ofício em preto e branco. Recortei tudo e comecei a montar a capa. Após tudo colado devidamente, protegi as imagens e a capa com papel contact transparente e fui para papelaria colocar uma mola maior.

No final, a obra ficou mágica, pois tem um pouquinho de cada coisa que eu gosto ali. Neste semestre vou levar para a faculdade meus amigos do mundo cinematográfico e do mundo literário, além de pessoas queridas do mundo real...

Capa

Dentro

Capa de trás

Questions after midnight...


1) Qual teu maior sonho? Como pretende alcançá-lo?
No momento, eu diria que o meu maior sonho é terminar minha graduação e conseguir um bom emprego para conquistar independência pessoal e financeira.

2) O que te faz valorizar um amigo?
A lealdade.

3) O que espera de um verdadeiro amor?
Amizade e comprometimento incondicional... Difícil encontrar um amor assim, hein?!

4) O que mais te faz feliz?
Eu me sinto feliz quando as pessoas que eu amo não me tratam com indiferença, quando elas demonstram com suas atitudes que a minha existência é importante.

5) O que te deixa mais triste?
Indiferença. Isso dói.

* Tive esta ideia de post e pedi para o meu amigo, Alexandre, escrever as perguntas para eu responder.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Café com leite...


Se tem uma bebida pela qual sou apaixonada é o café com leite. Sempre que eu tomo um café com leite, eu me lembro de estar em casa e em família. É uma sensação confortante. Adoro segurar uma caneca quentinha com as duas mãos e sorver aquele líquido saboroso. Quando tomo um café com leite assim parece que estou protegida, segura dentro de minha casa e em companhia daqueles que amo. Gosto de preencher a xícara com mais da metade de café preto passado e completá-la com leite só para quebrar o domínio do líquido escuro. A mistura para mim é perfeita, ainda mais quando é acompanhada de umas três colheres de chá de açúcar - único momento em que me permito extravasar na doçura.

Sobre economizar...

Acho as liquidações incríveis. Ano passado, vi em uma loja uma sandália linda - aquele tipo de sapato que faz o coração de uma mulher bater mais rápido -, porém, o preço era abusivo. Quase um ano depois, os produtos de verão estão com 50% de desconto e eu, finalmente, comprei minha sandália dos sonhos. O mais legal é que com o valor original da sandália eu paguei duas aulas de autoescola, coloquei créditos no meu cartão TEU (ônibus) e levei para casa mais um sonho de consumo. Por que pagar o dobro se dá para esperar um pouco mais? Eu não tenho dinheiro para doar para as empresas. Aprendi a esperar pela promoção. E esse negócio de que algo vai estar "fora de moda" em tal época é papo de quem tem a carteira cheia e pode se dar ao luxo de mudar o guarda-roupas inteiro a cada estação. Economia em primeiro lugar - sempre.

Hey, boys, date a girl who reads!


A minha amiga Taise encontrou um texto muito lindo e postou no Facebook, dizendo que tinha achado a minha cara... Realmente, eu me identifiquei com as belas palavras cuja autoria é desconhecida e resolvi postar aqui no blog! 

Hey, boys, date a girl who reads!

"If you find a girl who reads, keep her close. When you find her up at 2 AM clutching a book to her chest and weeping, make her a cup of tea and hold her. You may lose her for a couple of hours but she will always come back to you. She'll talk as if the characters in the book are real, because for a while, they always are. Date a girl who reads because you deserve it. You deserve a girl who can give you the most colorful life imaginable. If you can only give her monotony, and stale hours and half-baked proposals, then you're better off alone. If you want the world and the worlds beyond it, date a girl who reads."