segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Verão, por favor, vá embora!

Estou começando a ficar com medo de dias de sol. Nunca me senti tão mal por causa do calor. Acordo desanimada e com vontade de chorar ao sentir que a temperatura já está alta nas primeiras horas do dia. Parece que a cada ano o Verão está mais agressivo. Tudo o que eu queria era um pouco de frio; entrar em casa e não me sentir sufocada pelo ar quente que insiste em lá ficar durante todas as 24 horas do dia; poder dormir na minha cama com tranquilidade, sem estar pipocando pelos cômodos da casa para descobrir o canto mais fresco; queria poder soltar meus cabelos e arrumá-los do jeito que gosto, não prendê-los em um coque alto e sem estilo; queria poder respirar e não me sentir mergulhada em um lago de lava... Se o Inferno existe, o Verão é uma prova disso. Além de todo o calor abusivo, os insetos parecem se refestelar com as altas temperaturas e invadem nossas casas, impedindo-nos de deixarmos as janelas abertas durante a noite para que o ar ameno da madrugada traga um pouco de paz aos nossos corpos agonizantes de calor. Considero pessoas que gostam do Verão muito corajosas, eu, se pudesse escolher agora, estaria bem longe deste forno grande do sul! Estaria em um lugar fresquinho, alto, perto de áreas verdes e humanamente possível de se viver com tranquilidade e disposição... Naquele mesmo lugar onde deixei meu coração, aonde voltarei um dia para ficar e não mais voltar.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Curitibando...

Desde pequena ouço minha mãe Clotilde falando que a mãe dela (minha bisavó) esteve em Curitiba e visitou o relógio das flores... Essa ideia de conhecer a cidade sempre esteve presente em mim e, quando surgiu a oportunidade, minha mãe e eu embarcamos nesta aventura. Tudo programado pela Internet com antecedência, trouxe uma penca de papéis com mapas, roteiros e sugestões de passeios pela cidade. Temos quatro dias para cumprir a programação e hoje foi a primeira aventura das gaúchas no Paraná.

Curitiba aos meus olhos: a primeira impressão foi um pouco decepcionante... Eu esperava que a cidade fosse mais moderna, mas os prédios do centro têm um aspecto antigo. Porém, a cidade é muito grande. O centro é muito amplo - o centro de Porto Alegre é uma caixinha de fósforo perto do centro de Curitiba. Minha mãe e eu pegamos a linha executiva do Aeroporto Afonso Pena até o centro - beleza! Tudo certo como no site e nos meus folhetos... Chegamos no hotel, deixamos as malas e fomos direto para a Estação Rodoferroviária. Lá é um lugar bem amplo, com muitas linhas de ônibus e de trem! Para o domingo, já agendamos um passeio de trem intermunicipal (essa história fica para outro dia). Logo depois de caminharmos um bom pouco pela Estação, fomos almoçar. Prato do dia: ala minuta. Gostei das fritas.

Depois minha mãe avistou um "shopping" e lá fomos nós... Na verdade, acabamos indo no Mercado Público Municipal de Curitiba! Um primor! ENORME... E muito limpinho (o de Porto Alegre é mais bonito por fora, mas por dentro o de Curitiba ganha em organização e estrutura). Compramos umas coisinhas comestíveis gostosas e, de lá, pegamos um táxi e fomos para o Shopping Curitiba.

Sobre os táxis de Curitiba (ainda não consegui fotografar a cidade porque do nada a bateria descarregou), eles são laranjas com detalhes pretos. Achei bonito o design! Mas... O mais legal é a tecnologia usada pelos taxistas daqui, eles têm um sistema de rádio informatizado através de celulares que os informam a todo momento as corridas disponíveis. Conversei com um taxista gaúcho que me explicou como funcionava e até fez demonstração (super simpático!). Ele escolhe o nome (ao que tudo indica o nome que aparece é o de um lugar da cidade, talvez bairro) e vê o endereço certinho. Após essa etapa ele pode aceitar ou não pegar essa corrida. Se ele aceitar a corrida não aparece para os demais taxistas, do contrário, ela continua ativa no visor do celular- ACHEI O MÁXIMO. O taxista com quem conversamos é gaúcho e curitibano de coração, está desde 1979 por aqui. Ele acha que Porto Alegre é muito mal administrada e que pouco se investe para o crescimento da cidade... QUEM CONCORDA GRITA EU: "EU!". Enfim, perto de Curitiba, minha amada cidade natal se torna uma província. [Nota: minha mãe continua gostando mais de Porto Alegre porque ela é uma gaúcha que tem orgulho de suas tradições, tchê!]

O Shopping de Curitiba é bem bacana, lojas legais e ambiente bonito. A gente começou a surtar quando percebemos que quase tudo estava em liquidação (50% off, OMG!)... Minha mãe comprou duas blusas bem legais e eu comprei uma blusa. Voltando para o hotel, minha mãe foi descansar... Motivo: como ela não desce do salto, ela se cansou com as caminhadas. Se eu que estava de tênis já estava meio dolorida, as pernas e pés dela deviam estar pedindo "socorro"! Também ela está um pouquinho resfriada, então, enquanto ela descansava, fui buscar o xarope na farmácia.

Fui dar um rolê sozinha pelo centro por duas ruas bem movimentadas... As ruas aqui são compridas demais, parecem que não acabam... Caminhei por uma hora e depois encontrei um shopping mais popular com preços incríveis! Acabei comprando uma calça jeans skinny (modelo que uso) por apenas R$ 29,90 - peça única... Sorry, girls!

Na volta para o hotel comprei uma COXA (mais conhecida como coxinha de galinha por aqui). O que me chamou foi o cheiro. Eu passei e senti o cheiro maravilhoso e tive que voltar e comprar. Minha mãe adorou também. Era uma coxinha de galinha (uma senhora coxa) com catupiri, mas esse catupiri daqui é bem diferente: ele parece um creme mais líquido de queijo, parecido com um requeijão derretido... Uma delícia! Nossa, minha mãe e eu comemos o lanchinho lambendo os dedos.

Depois de tanta novidade, a hora do descanso chegou. Nosso quarto de hotel é muito fofo e aconchegante. Amamos! Tomamos banho e fomos para baixo dos lençóis dormir. Minhas pernas estavam precisando depois de tanto caminhar. Eu só sei que estou adorando tudo. Sou uma moça muito urbana e adoro conhecer cidades. Não que eu não curta a natureza, eu amo o verde, mas gosto de ficar na cidade devido aos serviços e produtos que estão a nossa disposição. Também, eu tenho problemas com insetos. Verde só para um passeio de um dia, mas a estadia tem que ser na cidade.

Quando eu organizar as fotos, posto algumas aqui.

O que Curitiba tem? Estou descobrindo e me encantando com essa cidade grande, mas tranquila e que nos recebeu muito bem. O que gostei por aqui é que dá para andar sem medo, diferentemente de uma cidade como São Paulo - por exemplo - e as pessoas são simpáticas! 

Amanhã tem mais!

Navegando sobre o mar de nuvens brancas...

Acompanhada de minha mãe, a Sra. Clotilde, embarquei em um sonho de algodão. O mar branco logo se apresentou abaixo de nós, brilhando forte devido à luz solar. Os olhos deliravam encantados pelas fofas águas brancas. O contraste entre o azul do céu e aquele mar de imensidão branca fez meu coração palpitar e pequenas lágrimas de felicidade brotarem no canto das janelas de minh'alma.

Há anos sonhava com aquele momento outra vez... Com o despachar de malas, com a espera da sala de embarque, com a caminhada na passarela até o avião, com a velocidade até a subida e com a paz! A paz de estar acima dos ruídos da realidade do solo... A paz de se emocionar com a beleza das nuvens que se formam infinitas sob a superfície... A paz de voar, a paz de estar contente demais para poder pensar em outra coisa a não ser naquele momento glorioso nos céus, navegando sobre o mar de nuvens brancas...