sábado, 2 de julho de 2011

Vidros...



Sei que pareço uma boneca de vidro e, muitas vezes, é assim que realmente me sinto. Não vivi o suficiente para saber como lidar com alguém tão diferente de mim, mas, no entanto, sinto uma curiosidade enorme, uma vontade louca que me causa angústia... Angústia por não saber mais sobre você, por não conseguir ler seus pensamentos... Queria entender qual é a razão de tantos cuidados que você tem comigo, queria que fosse sincero... Queria que não me dissesse palavras que se perdem ao vento e levam embora a credibilidade de seus sentimentos, pois você se contradiz em seus movimentos. Por que me olhas tentando decifrar-me ou encontrar em mim mais do que sou? Não escondo o que eu sinto, você sabe que pode ler o que quiser através de meus olhos... Sou transparente como o vidro e tão delicada quanto, trinco facilmente. Você não pode querer que eu seja quem não sou; tampouco permitirei que me iluda com suas boas intenções. Se é você que não consegue se decidir, não continue me magoando ao ir correndo achar nos braços de outra a liberdade que você não tem comigo. Se é nela que a sua luz está, não me procure mais e tenha coragem para dizer o que sente e ser mais do  que alguém que tem medo de amar.