sexta-feira, 18 de março de 2011

Pote colorido...

Quando eu era criança, eu costumava ser muito criativa. Para ocupar o meu dia, que naquela época parecia ser interminável, eu desenhava, costurava bonequinhas de pano, brincava muito, me fantasiava, construía brinquedos, montava e desmontava meu amado lego, subia em árvores, andava e caía muito de bicicleta, etc. Eu era uma criança muito criativa, talvez por não passar horas infinitas na frente de jogos digitais, eu sempre procurava fazer coisas diferentes.

Lembro-me que eu adorava a Revista Recreio, que além de informações divertidas, trazia sugestões para criar coisinhas novas com os materiais que eu mais gostava: papel, cola e tesoura. Não sei por que hoje eu resolvi intitular meu post de "Pote colorido...". Explicarei o que vem a ser isso. É um objeto que fiz quando estava nas séries iniciais do ensino fundamental, li na Recreio os procedimentos e iniciei a obra. Recortei vários pedacinhos de partes coloridas de revistas e os colei em um vidrinho de conserva. Depois, passei cola por cima e esperei secar. No outro dia, vi que a minha pequena criação tinha ficado uma graça! Um potinho colorido e cheio de vida para guardar coisinhas que tinha sido feito por mim! Eu fiquei muito contente com a minha criação na época.

Hoje, pensando em como as coisas estão boas e no quanto eu estou feliz, lembrei-me do meu pote colorido e de toda aquela vida que eu sempre tive quando criança. Eu sempre dei um jeito nas minhas coisas e é assim que as coisas sempre funcionaram bem para mim. Durante um tempo de minha adolescência eu havia me esquecido disso, deixei outros decidirem o que fazer com o meu "pote colorido" e aos poucos ele foi perdendo a cor... Às vezes, eu reassumia  o controle do pote e tentava desesperadamente trazê-lo à vida outra vez, mas nem sempre obtinha sucesso. 

No entanto, posso dizer que de uns tempos para cá meu pote colorido voltou à vida e, às vezes, o estranho por estar tão lindo e tão crescido. Quando o abri, vi que ali só havia coisas boas, coisas pelas quais eu sempre lutei, coisas que eu sempre sonhei que existissem em minha vida. O que mudou? Talvez, tirar as vendas dos olhos e perceber que eu sou simplesmente eu e que não há nada melhor para mim do que ser eu tenha feito toda a diferença. Tenho certeza de que com o cultivo certo, a tendência é ele só florescer, pois tudo pode haver em meu pote colorido, que de pequeno só tem o tamanho.