segunda-feira, 28 de março de 2011

My Fair Barbie...

Coleção da Barbie inspirada na personagem Eliza Doolittle interpretada por Audrey Hepburn no musical My Fair Lady... Divinas!


domingo, 27 de março de 2011

Exposição da Barbie, Iguatemi...


Neste domingo, minha amiga, minha irmã e eu fomos ao Shopping Iguatemi, em Porto Alegre, para visitarmos  a exposição da Barbie. Depois de quase duas horas na fila, entramos no mundo encantado da boneca mais famosa do mundo. Foram vários os modelos de Barbies que encontramos por lá - uma mais linda que a outra! Foi um momento bastante cor-de-rosa e que me fez querer voltar a colecionar essas verdadeiras modelos. Dentre tantas Barbies e Kens, quatro deles fizeram meu coração bater mais forte e querer muito ter um exemplar de cada um em casa...

* O casal de intelectuais mais adorável de todos, o vulcano Spock e a humana Uhura. Quando eu vi esses dois personagens incríveis da nova geração de Star Trek, eu fiquei morrendo de vontade de ter esses dois na minha sala lilás.


* O outro casal que simplesmente amei vem de um belíssimo musical: My Fair Lady. O professor de fonética, Henry Higgins, e a florista transformada em uma bela dama, Eliza Doolittle, são ricamente retratados na versão Barbie e Ken. É ou não é um luxo?


Quem vai à exposição, percebe que a Barbie já faz parte de nossa história. Menininhas, adolescentes, jovens adultas e senhoras transformam-se apenas em sonhadoras ao entrar em contato com o maravilhoso mundo mágico e cor-de-rosa desta boneca que retrata todos aqueles personagens que já sonhamos ser...

sexta-feira, 25 de março de 2011

Paródia de Linguística




De: | Criado em: 05/05/2010
Paródia de Linguística, feita com a música do Tribalistas, Já sei Namorar, e interpretada pelos alunos Alceni, Daniela e Marina...

Linguistics Love Song



Copyright Christine Collins, 2010-2011

Need to win the heart of a linguist? It's your lucky day! Here is a convenient, terminology-dropping, non-gender-specific love song for all your linguist-seducing needs.

LINGUISTICS LOVE SONG

Let me have your heart and I will give you love
the denotation of my soul is the above
if there's anything I lack, it's you
as my double brackets, you make me mean things
I can't say enough

Consider me your anaphor, I'm bound to you
there's no one else that I could be referring to
your features all attract me
we're such a perfect match, please agree with me
I need to be with you

Well I don't know how to say exactly how I feel about you
'cuz it seems my broca's area stops working right around you
forgive me my disfluency, there's nothing I can do, you see
you speak to me, linguistically I'm yours

Now I know you tend to isolate, and that's all right
like free morphemes you and I could lead our separate lives
but if we were to agglutinate
together we would do so great
and I'd hate to miss the words we could derive

well I don't know how to say exactly how I feel about you
'cuz it seems my broca's area stops working right around you
forgive me my disfluency, there's nothing I can do, you see
you speak to me, and linguistically I'm yours

So please don't be my allophone and disappear
really awkwardly whenever I start getting near
let's be a minimal pair
'cuz I'm totally cool with us both being there
my environment is better when you're here
my environment is better when you're here
my environment is better when you're here

The Linguists - We Are the World



Some of the professors and students of the last 20 years of the Budapest ELTE-MTA Theoretical Linguistics Programme sing on the occasion of the 20th birthday of the department. Since everyone agrees that linguistics saves lives :) and making a cover of 'We Are the World' is funny enough, we decided to do it.

WE ARE THE WORLD

There comes a time
When we heed a certain call,
When linguists must come together as one.
There are people speaking,
They bind and c-command;
It's grammar, the greatest gift of all.

We can't go on
Pretending day by day
That we know our language works in the brain.
We are all a part of
God's linguist family,
And the truth, you know, grammar's all we need.

We are the world,
We are the linguists,
We are the ones who make a brighter day
By making theories.
There's a choice we're making
By forming hypotheses
And we'll describe a language
Just you and me.

Send them a research group
So they'll know that someone cares
And their data will be thoroughly explored.
God has shown us
By turning stone to bread
That even a linguist must be fed.

We are the world,
We are the linguists,
We are the ones who make a brighter day
By making theories.
There's a choice we're making
By forming hypotheses
And we'll describe a language
Just you and me.

When you're criticized
There seems no hope at all,
But if you just believe
There's a usage-based approach.
Well, well, well, well, let us realize
That debates will always come
Even though we stand together as one.

We are the world,
We are the linguists,
We are the ones who make a brighter day
By making theories.
There's a choice we're making
By forming hypotheses
And we'll describe a language
Just you and me.

***

- Soloists: László Kálmán, András Cser, Zoltán Bánréti, Csilla Novák, Attila Novák, Ádám Nádasdy, Miklós Törkenczy (Ágnes Füle), Zsófia Zvolenszky, András Máté;
- Choir: some of the professors and students of the last 20 years of the Budapest ELTE-MTA Theoretical Linguistics Programme
- Lyrics: Zoltán Bánréti, Michael Jackson, László Kálmán, Lionel Richie, Miklós Törkenczy and the organizers;
- Sound: A. P., B. L.;
- Camera: Lili Krizsán, Péter Miklós Molnár;
- Photos: Judit Horváth;
- Editor: Bálint Biczók;
- Organizers: Bálint Biczók, Brigitta Fodor, Ágnes Füle, Emese Lipécz, Lilla Magyar, Julianna Pándi, András Schepácz.

Bad Grammar...



"This is a parody of the song that made English teachers cringe, "The Way I Are" by Timbaland ft. Keri Hilson. If you don't understand the humor, you may want to go dust off that old grammar book and a dictionary."

Everything else is secondary...

"Your time is limited, so don't waste it living someone else's life. Don't be trapped by dogma - which is living with the results of other people's thinking. Don't let the noise of other's opinions drown out your own inner voice. And most important, have the courage to follow your heart and intuition. They somehow already know what you truly want to become. Everything else is secondary."



Steve Jobs (1955 - )



www.quotationspage.com


sábado, 19 de março de 2011

Desenraizar o problema...

O sonho de passar no Vestibular acaba se transformando em pesadelo devido aos trotes nas universidades. Em muitos casos, o trote é um ritual de passagem, considerado uma forma de integração entre calouros e veteranos, mas em outros, é distorcido a uma brincadeira de mau gosto imbuída de violência que menospreza o ser humano. É difícil apreciar uma cultura que compele o indivíduo a situações constrangedoras e depreciativas. Porém, é possível transformá-la em algo melhor através dos chamados trotes solidários.
A origem do trote universitário é muito remota, surgiu na Europa medieval com a função de separar - literalmente - os novos alunos dos antigos. Seu caráter discriminatório é evidente, e isso foi passado ao longo dos anos. Atualmente, muitos calouros concordam em participar das “brincadeiras” aplicadas pelos veteranos, porém, muitas vezes, alguém sai machucado. Comemorar a aprovação no Vestibular não é errado, mas o problema está em como é feita essa comemoração. É inerente ao jovem festejar com outros para integrar-se a um grupo, mesmo que se sujando com tintas, mas sempre há pessoas mal-intencionadas nesse meio, que abusam da sua posição causando humilhação aos calouros.
A cultura do trote agrega muitos valores depreciativos que podem se manifestar através de brincadeiras pacíficas sem utilidade ou violentamente. Para mudar isso, é preciso que o jovem se mobilize em ações fraternas, pois não há melhor forma de integração do que aquela que beneficia a quem precisa. Celebrar a conquista de uma vaga universitária é ter maturidade para iniciar uma nova fase, construindo bases sólidas para o desenvolvimento intelectual. Um dos caminhos é o trote solidário que, além de aproximar veteranos e calouros, tem a missão de levar algum tipo de ajuda a pessoas que necessitam dela. Esse tipo de experiência é muito rica, tanto para o crescimento pessoal quanto para o futuro profissional, pois quem pratica ações sociais é inserido na realidade, aprendendo a estimar cada vida.
É necessário que o jovem seja valorizado pela sua conquista, mas, para isso, é imprescindível que ele aprenda a valorizar-se como indivíduo. A solução para acabar com a violência dos trotes é desenraizar seu caráter depreciativo. A cultura do trote solidário deve ser disseminada nas universidades e meios de comunicação para que seja mais bem cultivada, tornando sua prática uma tradição. Com ações solidárias, é possível reduzir a violência, aprender e crescer.


Junie Nunes de Souza


* Escrevi este texto em 2009 para a primeira fase do concurso Redação ZH.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Pote colorido...

Quando eu era criança, eu costumava ser muito criativa. Para ocupar o meu dia, que naquela época parecia ser interminável, eu desenhava, costurava bonequinhas de pano, brincava muito, me fantasiava, construía brinquedos, montava e desmontava meu amado lego, subia em árvores, andava e caía muito de bicicleta, etc. Eu era uma criança muito criativa, talvez por não passar horas infinitas na frente de jogos digitais, eu sempre procurava fazer coisas diferentes.

Lembro-me que eu adorava a Revista Recreio, que além de informações divertidas, trazia sugestões para criar coisinhas novas com os materiais que eu mais gostava: papel, cola e tesoura. Não sei por que hoje eu resolvi intitular meu post de "Pote colorido...". Explicarei o que vem a ser isso. É um objeto que fiz quando estava nas séries iniciais do ensino fundamental, li na Recreio os procedimentos e iniciei a obra. Recortei vários pedacinhos de partes coloridas de revistas e os colei em um vidrinho de conserva. Depois, passei cola por cima e esperei secar. No outro dia, vi que a minha pequena criação tinha ficado uma graça! Um potinho colorido e cheio de vida para guardar coisinhas que tinha sido feito por mim! Eu fiquei muito contente com a minha criação na época.

Hoje, pensando em como as coisas estão boas e no quanto eu estou feliz, lembrei-me do meu pote colorido e de toda aquela vida que eu sempre tive quando criança. Eu sempre dei um jeito nas minhas coisas e é assim que as coisas sempre funcionaram bem para mim. Durante um tempo de minha adolescência eu havia me esquecido disso, deixei outros decidirem o que fazer com o meu "pote colorido" e aos poucos ele foi perdendo a cor... Às vezes, eu reassumia  o controle do pote e tentava desesperadamente trazê-lo à vida outra vez, mas nem sempre obtinha sucesso. 

No entanto, posso dizer que de uns tempos para cá meu pote colorido voltou à vida e, às vezes, o estranho por estar tão lindo e tão crescido. Quando o abri, vi que ali só havia coisas boas, coisas pelas quais eu sempre lutei, coisas que eu sempre sonhei que existissem em minha vida. O que mudou? Talvez, tirar as vendas dos olhos e perceber que eu sou simplesmente eu e que não há nada melhor para mim do que ser eu tenha feito toda a diferença. Tenho certeza de que com o cultivo certo, a tendência é ele só florescer, pois tudo pode haver em meu pote colorido, que de pequeno só tem o tamanho.

sábado, 12 de março de 2011

ATENÇÃO, leitores do blog!

Com o reinício da minha rotina estudantil, provavelmente, não poderei postar com a mesma assiduidade que tive durante o período de férias. Meus quatro ônibus diários e meus horários malucos da 2ª melhor universidade do país, quase sempre, consomem minha energia extra para escrever. Como faço Letras, a carga de leitura e escrita para o curso já é bastante alta, então, provavelmente, não escreverei muito por aqui. Espero, neste semestre, aprimorar minha criatividade para poder incrementar os meus textos.

Por enquanto, é isso. Agradeço aos amigos e demais leitores que sempre deixam comentários legais por aqui.

Junie.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Teenage dream...

Calma, mãe, eu posso explicar... Sim, é verdade. Eu pintei meus cabelos de azul. Ah, cansei dos 19 anos que passei me olhando no espelho e vendo nada mais, nada menos do que aqueles escuros fios castanhos. Decidi que iria mudar e pronto. Saio de casa em busca da pigmentação perfeita, atravesso a avenida, entro no estabelecimento pré-determinado e eis que encontro ela lá, na promoção, azul, na prateleira mais alta da farmácia São João, por apenas R$ 9,99! Uhul! Agora é só chegar em casa e tacar a tinta nos cabelos... Ah, não, antes: ler as instruções... AGITE BEM ANTES DE USAR! Ok, ok, ok... Já agitei! E agora? APLIQUE A 20 CM DOS FIOS! Aham... 1, 2,3... GO! Ué? Cadê o azul? Não tô vendo nada...
Droga de cabelos pretos!!! Nem um mísero fio azul! Parece até que ficou mais preto ainda... Mas será que eu sacudi esse treco direito? Vamos ver! Ah... AGORA SIM! Cabelos coloridos... Yeah!
Sempre tive vontade de colorir as madeixas... Não com aquelas tinturas tradicionais, mas com cores como azul, rosa, verde, roxo... E, como este ano a minha cor é azul, escolhi aquele adorável spray azul para realizar meu desejo capilar. Não sei se teria coragem de tingir de verdade meus cabelos - acho que para isso precisaria mudar meu estilo de roupas também (porque as minhas roupinhas fofinhas não combinaram muito com os meus cabelos azuis).
Realizado o desejo - bem, pelo menos por um dia pude dizer MEUS CABELOS AZUIS! Foi incrível! Acho que é uma experiência que valeu a pena para mim que queria passar por essa transformação há algum tempo. Como estou hoje? Com os meus fios pretos de sempre, mas com a maravilhosa sensação de saber que um dia (ontem) eles já foram azuis! 
Hoje a minha mãe me ligou e disse que achou o máximo (ontem eu mandei uma foto para ela)... Ela achou que teria uma filha "rebelde", mas se decepcionou ao saber que o produto sai com shampoo... Pois é, mãe! Mas valeu a brincadeira! :)
Ah, quem me ajudou a tingir os cabelos de azul foi minha outra mãe (avó). Ela se encarregou das pontas e eu das mechas! :) Ela quem fotografou também! Acho que ela achou legal também... Ah, vai dizer que não dá vontade de fazer umas loucurinhas dessas em alguns momentos de nossas vidas? Eu realizei o meu sonho adolescente na minha pós-adolescência... Realize os seus também! Nenhum sonho é pequeno demais ou grande demais... Basta você ter vontade de realizá-los! ;D/

Kisses,
@Junie_NdeS.

terça-feira, 1 de março de 2011

Words from the Light...

“Existe um provérbio que diz: ‘pela obra se conhece o autor’. Pois bem, veja a obra e procure o autor. É o orgulho que gera a incredulidade. O homem orgulhoso nada vê acima de si próprio, pois considera-se um espírito forte.”


“A forma não é nada. O pensamento é tudo. Cada um deve orar segundo as suas convicções, e da maneira que mais lhe agradar, pois um bom pensamento vale mais do que muitas palavras que não tocam o coração.”


Vocabulário...


* anfibologia
Significado de anfibologia
s.f. Ambiguidade, duplo sentido de uma frase. (Ex.: Trago bombons para meus filhos, que estão no bolso do paletó.)

* aforismo
Significado de aforismo
s.m. Máxima enunciada em poucas palavras; apotegma, ditado. (Ex.: tal pai, tal filho.) 

* fortuito 
Significado de fortuito
adj. Que acontece por acaso; imprevisto; casual.

* sofisma
Significado de sofisma
s.m. Raciocínio vicioso, aparentemente correto e concebido com a intenção de induzir em erro. (V. PARALOGISMO.)