sábado, 12 de fevereiro de 2011

Partidas...

As pessoas partem. Não importa qual é o tipo de partida. Tudo o que sei é que elas se vão quando a gente menos espera. A vida nem sempre é justa em determinar partidas. Às vezes, as partidas são eternas. As pessoas vão e nunca mais voltam e tudo o que resta são lágrimas, dor, saudade e uma sensação de eterno vazio. Outras partidas são mais amenas, temporárias... Nossos entes queridos vão e voltam entre um lugar e outro, mas voltam. Estes fazem apenas partidas terrenas para conhecer outros lugares e vivenciar novas experiências.
Partidas mentais também ocorrem. De repente aquelas pessoas que julgamos conhecer tão bem já não são mais as mesmas. A vida lhes preparou caminhos tão diferentes que hoje se tornou impossível chegar até elas. Quando crescemos, percebemos que as partidas da mente ocorrem com bastante frequência. Logo, o amigo da infância já não é mais o mesmo amigo. Sua melhor amiga do ensino fundamental tornou-se outra pessoa, viajou para um lugar distante que você não pode chegar. As pessoas se perdem, os caminhos mudam, as partidas se tornam presentes e nos acostumamos com a sensação de estar sempre diante de escolhas. Escolhas que podem nos levar para diferentes lugares. Escolhas que podem ocasionar diferentes partidas. Escolhas que envolvem perdas e ganhos. A vida parece uma grande estrada, cheia de estradinhas... Cada pessoa tem o seu próprio caminho a seguir. Creio que Deus, a cada um de nós, deu um mapa. Preenchemos este mapa todos os dias. Às vezes nossos mapas nos levam para longe de pessoas que amamos ou levam para longe as pessoas que amamos. 

Então, para aqueles que amo, desejo uma excelente aventura pelos caminhos da vida! 

BOA VIAGEM!

Junie Nunes de Souza