quinta-feira, 8 de julho de 2010

Ágape...

Acho que para os que conhecerem o significado do título, este post irá fazer total sentido... Aos que não compreenderem, sugiro uma boa leitura de O Diário de um Mago, do fabuloso escritor Paulo Coelho. 

Não sabia o que era aquele sentimento de que tudo é possível, de que não há limites para a felicidade e desconhecia de onde surgia aquele entusiasmo todo... Descobri que se tratava de Ágape. Isso me deu uma força maior ainda diante de tal fenômeno aleatório. 

Tive uma semana estranha, agitada... Estou quase no fim dela. Descobri algumas coisas e presenciei outras inexplicáveis...

* Descobri que...

Não se pode acreditar em juras de amor entre adolescentes... A explosão de emoções da idade não permite um julgamento sensato daquilo que realmente se sente. Além disso, fala sério! A ideia de amor é linda, mas as relações não se constroem apenas com sentimentos. Há interesses mútuos que devem ser correspondidos para que a continuidade do enlace não se desfaça no primeiro impacto da vida de divergências de um casal.

A fé realmente move montanhas! E como é lindo ver alguém iluminado ou ler as palavras de quem vive sua fé e luta pela edificação da alma. Existem tantos mistérios no mundo. Existem pessoas que buscam as respostas. Existem pessoas que vivem sua existência de forma plena. É incrível perceber que tudo isso toca o meu ser de uma forma inexplicável, ainda há esperança...

* Presenciei...

O fim de uma linda relação (ao meu ver)... Foi tão estranho presenciar isso. Sempre acreditei em contos de fada... E achava que era possível vivê-los na realidade também... Porém, acabou de uma maneira tão fútil e sem emoção... Só provou que o príncipe encantado não era nada especial, apenas mais um adolescente efêmero desta geração. Calma, pessoal! Não foi comigo a história... Ainda estou longe de viver as sensações do "amor".

Um filme que, definitivamente, não retrata a realidade e que vai além da minha imaginação...

Enfim, hoje me pego suspirando e com o ritmo cardíaco acelerado... Ai! Não!!! Não quero me enganar mais uma vez, um amor platônico desastrado já basta. A dica da minha melhor amiga: esqueça o passado... Vou tentar. É sério dessa vez. Não quero sentir mais nada que não seja real, que me impeça de viver...

Este post é um presente para a minha melhor amiga... Espero que ela entenda as razões dessas palavras soltas!