domingo, 11 de abril de 2010

Vazio...

Sinto que nem no vácuo estou…
Sinto-me perdida,
Incompleta,
Sem sentidos,
Sem saída...
Não vejo a luz,
Nenhuma porta para fugir...
Fugir...
Não há como fugir.
Não consigo gritar,
Expressar tudo aquilo que me aflige...
Estou muda.
Vestiram-me com a fantasia de algo que não sou.
Não sou.
Não, não sou...
Não há como se libertar...
Não...
Não até tudo isso acabar.