sábado, 27 de fevereiro de 2010

Baú - literalmente...

     Às vezes, eu até arrisco escrever poemas... Mas não é o meu tipo de produção textual. Porém, quando o medo e a ansiedade tomam conta do meu ser, pequenos poemas começam a nascer. Escrevi "Baú" em 2008... Reflete o que eu estava sentindo na época, mas... hoje...  eu o encontrei em um caderno e resolvi compartilhá-lo com vocês - por algum motivo obscuro...

BAÚ


No baú da memória,
Lá no fundo uma história...
Pego o livro da vida:
Tanta ansiedade, tanta dor...
Folheio páginas amareladas:
Tanta alegria, tanto amor...
De um tempo mandado
Por mil cabeças distintas,
Pequenas almas foram governadas...
Choro lágrimas transparentes,
Mas tão escuras de horror...
Grito um estridente eco abafado!
Eles não querem que ouçamos,
Eles não querem que falem!
Apenas siga as ordens macabras desse dia,
Apenas mate a vontade de viver...
Silencie sua alma,
Condene o seu coração,
Pois é isso o que eles querem...
Sofrer?
Nada mais é que viver.

Junie Nunes de Souza